segunda-feira, 14 de maio de 2012

Uma conversa franca sobre attachment parenting! Confissões de alguém adulto fruto da técnica!

Minha mãe e eu quando ainda bebê


Nós pais estamos sempre buscando formas de obter uma melhor criação para nossos filhos. E  todos nós sabemos o quão grande é este desafio. Milhares de livros sobre como devemos criar nossos filhos são escritos a cada ano. Diferentes técnicas e métodos viram modismos à cada geração, as informações são tantas que acabam se contradizendo. Com isto todo mundo gasta energia, neurônio, dinheiro e tempo para descobrir a receita perfeita para criar filhos amaveis e mais independentes. 


A técninca da moda hoje em dia é o attachment parenting!Que se consiste basicamente em tres pilares, amamentacao prolongada, muito contato físico ( geralmente carregar o bebe atraves do sling), e dormir na mesma cama dos pais. O que muita gente até hoje em dia acha um método controverso. 


Para uma técnica ser considerada boa, acredito que precisamos ver o resultado no fruto da mesma, e para ser sincera com voces, só conheço uma pessoa adulta que passou pelo attachment parenting na minha vida! 
...Euzinha!! A minha mãe fazia attachment parenting quando isso ainda nem era moda, puramente por instinto materno.Se hoje em dia as pessoas criticam o método imagine isso 30 anos atrás? Cresci com o povo falando: Vania, ( o nome da minha mãe) voce vai estragar esta menina, vai colocar ela muito manhosa, mimada! Quem dorme com criança, acorda mijado! A menina ja fez dois anos e voce ainda continua amamentando?? Que horror a menina amamenta em pé, voce nao tem vergonha não? E muito mais criticas!! Ela nem ligava, pois internamente sabia o que estava fazendo! O livro que deu origem ao metodo foi lançado há 20 anos atras!  O que me faz pensar, seria a minha mãe a verdadeira criadora do método? rs


Meu veredito

Acho que tenho propriedade para falar sobre a técnica, ja que sou fruto dela. Sou contra o método? De forma nenhuma, mesmo por que se não gostasse da criação com apego estaria sendo contra a minha própria criação. Mas, contudo, porém, entretanto, como fruto da própria consigo ver os pós e os contras de uma forma mais ativa. 


A técnica afirma que desta forma estaríamos criando filhos mais amáveis e mais confiantes. Verdade ou Falso? No meu caso foi verdadeiro. Ninguém consegue quebrar o vínculo que tenho com minha mãe!Muitas pessoas ja tentaram de tudo e qualquer forma, mas não conseguem. Sou quase que "patologicamente" atachada à minha mãe rs. Não que ache isso ruim, de forma alguma e tenho uma relação muito boa de companheirismo com minha mãe que me ajudou muito ao longo da vida.  E sobre ser confiante? Também funcionou, sou "patologicamente" confiante, algo acima do normal, o que pode as vezes ser mal interpretado por metideza.


Faço attachment parenting aqui em casa? Sim e não rs. Comprei sling, toda animada, achando lindo a idéia. Yasmin nunca foi fã do sling, a não ser que a carrego de costas para mim, por que assim ela vê tudo em sua volta. Entre sling e caminhar, Yasmin não tem dúvida, minha Maria Independência Perseverança da Silva Brown apelidinho que traduz o gênio forte da menina, prefere mil vezes andar a slingar. Não nos adaptamos a idéa de dormir juntas, quando Yasmin esta dormindo na nossa cama, ela acha que tem que mamar a noite toda, o que faz com que ela e eu durmamos mal a noite toda rs. Teve uma época que Yasmin achava que só conseguiria dormir no meu peito, ela entrava em pânico se não tivesse o peito. Essa epóca me preocupou bastante, foi quando ela tinha 3 meses, achei que se colocasse ela para dormir toda vez no meu peito estaria roubando o direito dela de ter controle sobre o próprio sono. E hoje em dia ela nem reclama mais quando vai para o berço para dormir a noite. Aos 6 meses, comecei a fazer choro controlado para que ela dormisse no berço dela, e não me arrependo. Yasmin tem 14 meses e até hoje amamento livre demanda e ainda nem penso em parar de amamentar. Yasmin dorme a noite toda no berço dela sozinha e nem acorda para amamentar. Por isso não amamento durante a noite.


Onde a técnica pode dar errado?

Ao meu ver, a técnica pode desandar no quesito exagero. Porque acredite-me tem que ter um limite se não a criança pode confundir liberdade com a concentração de uma experiência individual e suas próprias vontades. Mudando o ponto de vista de que as relações com as pessoas e outras coisas só podem ser para o seu próprio interesse.

 Recomendo o método? Demais da conta,. Desde que se ache o equilíbrio e a hora certa de "desatachar" ( if you know what I mean!). 

Extremos e exageros são prejudiciais. Mas ai entramos no debate, amor em excesso é prejudicial? Não, mas a falta de disciplina é. Mesmo porque  ao meu ver, attachment parenting não é a supremacia da expressão de amor, voce pode amar seu (a) filho(a) e não amamentar até os 3 anos. Voce pode amar seu filho(a) e como no meu caso, preferir que não durma na mesma cama. Aqui em casa fazemos meio calabreza e meio attachment parenting rs Procuramos evitar exageros, usamos o que achamos que funciona para nós como família, sou contra Yasmin dormir na nossa cama por experiência própria.

 Numa analogia simples sobre exageros sobre métodos de criação é como o emagrecer, todo mundo quer uma forma mágica para emagrecer, aparecem as dietas desbalanceadas ( ricas em proteinas e baixo teor de carboidratos) e todo mundo esquece que para emagrecer é importante uma disciplina com dieta balanceada e muito exercício para a queima de calorias. Demora mais, é mais trabalhosa, dolorosa mas tem um resultado mais prolongado. 

De qualquer forma vai ser interessante ver esta nova geração de adultos frutos de attachment parenting e todos os seus exageros.

*PS: Obrigada as amigas que deram força! Melhorei da infecçao pulmonar e ja voltei a respirar novamente!!! Viva!!!

7 comentários:

Sabrina Nery Luz disse...

Amiga amei esse texto, vc traduziu de forma extraordinária o que penso e ha tempos gostaria de escrever mas não consigo. Parece que a blogosfera materna tão exageradamente defensora do método, acaba por nos "condenar" por pensarmos um pouquinho diferente. Amamento em livre demanda. Não consigo dormir com minha pequena na cama, mas a levo cedinho (na primeira mamada do dia) para ficar comigo e acordarmos juntinhas. Elisa nunca gostou de sling. E acredito que nosso vinculo se fortalece a cada dia sem exageros. Parabéns pelo texto. Vou compartilhar! Beijos
Sabrina
www.jeitinhos.blogspot.com

Mummy Brown disse...

Obrigada Sabrina! Comentar sobre estes metodos que a blogosfera ama é realmente complicado. Nao desaprovo attachment parenting, mesmo por que nao conheço outra coisa, mas esta tecnica realmente cria laços profundos e exageros nunca é bom! Obrigada por compartilhar! Bjos mil

Blog da Vania disse...

É... não sabia que a minha maneira de criar minha filha tinha nome e pelo que parece até sobrenome rsrsrsr mas fui como voce disse, pelo instinto e de uma certa forma, voce me conduzindo. Tinha certeza que estava agindo corretissimo, mesmo com todas as criticas. Mas não me arrependo!! Fui e sou a mãe mais feliz do mundo, aproveitei 100% da sua companhia em todas as fases isso devido à nossa cumplicidade e nossa amizade e agora vejo que foi plantado atravez desse médoto "novo", mas pra mim ele é do "meu tempo". Amei seu texto, perfeito. Beijos

Mummy Brown disse...

Maezinha voce eh com certeza é a melhor mãe do mundo! Seu intinto maternal e a forma que me criou é exemplo para muitos. Realmente aproveitamos 100% da companhia uma da outra e até hoje qdo vc esta por perto, nao tem para mais ninguem rs! Bjos mil

Débora disse...

Mummy
Apesar de ter ganhado livros sobre como criar e educar filhos, tenho que dar a mão a palmatória, nunca os li. Sigo mesmo o meu instinto materno. Não conhecia essa tão técnica que agora é moda e por incrível que pareça pratiquei bastante com o Di. Sò nunca usei foi o sling. Um grande abraço e um bom dia pra vcs

Rodrigo Novaes disse...

Interessante o texto. Acho que disciplina não tem nada a ver com attachment, pelo contrário, normalmente os pais ausentes é que tentam compensar sendo permissivos quando estão com os filhos. Mas vejo que attachment é um luxo não disponível a tod@s - um dos pais não pode trabalhar e o outro ainda tem que ajudar bastante. É cansativo e não é difícil dizer se dá "mais certo", porque qual a definição de um ser humano que deu certo?

lélli lu disse...

Puxa! Muito esclarecedor! Amei!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails